Redes Sociais

Com uma arquitetura rústica, poderá desfrutar de todos os sons da natureza e encontrará toda a hospitalidade para beneficiar de uma agradável estadia.

SafariSafari Drive. Visita às gravuras e passeio na reserva

Centro de Recepção da Reserva Faia Brava - CidadelhePasseios pedestres. Trilhos e Miradouros

Wi-Fi Gratuito

Caminhadas

Falamos Português

Estacionamento Gratuito

Aluguer de Bicicleta

Falamos Inglês

Animais de Estimação

Ar Condicionado

Falamos Francês

Nós somos hospitaleiros por natureza

Somos gente que valoriza as nossas raízes, pois são a nossa identidade, o bem mais precioso, que deve ser valorizado e preservado às gerações futuras. A nossa missão é valorizar todo o património de Cidadelhe, uma aldeia beirã do Vale do Côa. Esta aldeia por todo o seu valor, merece ser respeitada, dinamizada, pois constitui o nosso maior legado. Venha viver a nossa história, descubra todos os segredos, mistérios, toda a beleza que constitui o bem comum da humanidade.
”Preservar o passado é construir o futuro!”

Saiba mais

Foto 01

Vale do Côa

O Côa nasce no flanco Norte da Serra da Malcata. Nos primeiros quilómetros dirige-se para Noroeste mas no Sabugal aponta a Norte atravessando grande parte deste território até encontrar o Douro.

No último troço do seu vale é possível visualizar toda a arte do Paleolítico, as rochas de xisto que delimitam o seu leito, com milhares de gravuras, de uma beleza singular e artística.

O Vale do rio Côa constitui um local único no mundo por apresentar manifestações artísticas de ar livre inseríveis em diversos momentos da Pré-História, apresentando o mais importante conjunto de figurações paleolíticas de ar livre até hoje conhecido.

Este ciclo de arte rupestre ao ar livre, afasta o velho mito da arte rupestre confinada as cavernas, e demonstra-nos como constitui Património da Humanidade.

Foto 02

A visitar

A arte do Côa foi classificada como Monumento Nacional em 1997 e Património da Humanidade em 1998 pela UNESCO.

Ao longo das margens do Rio Côa é possível visualizar toda a arte rupestre ao ar livre do Paleolítico.

A presença humana nesta região, e os seus testemunhos, centenas e milhares de pinturas e gravuras rupestres, dotaram este conjunto de achados de uma relevância patrimonial, cultural, artística e histórica. Neste contexto, surge em 1996 o Parque Arqueológico do Vale do Côa, constituindo um museu de arte rupestre, o maior santuário de arte rupestre ao ar livre do mundo.

O Parque Arqueológico do Vale do Côa tem como objetivos gerir, proteger, divulgar a arte rupestre do Vale do Côa.

O Parque é constituído por uma extensa área com mais de 70 sítios diferentes, organizando visitas guiadas e contando com uma equipa de arqueólogos.

Foto 03

Núcleo Arte Rupestre Faia

Cidadelhe pertence à área do Parque Arqueológico do Vale do Côa, apresentando pinturas rupestres, as únicas de todo o parque. Este núcleo de arte rupestre da Faia encontra-se classificado como monumento nacional desde 1997.

Certos traços pintados acrescentam pormenores não gravados, admitindo-se a hipótese de alguns dos elementos pictóricos serem paleolíticos. É Património Mundial da UNESCO (1998).

As pinturas e gravuras correspondem ao período histórico do Paleolítico Superior, Pré-história Recente e Moderno.

Como técnicas destaca-se muito as sobreposições, caraterística predominante da arte rupestre do Vale do Côa e a representação de animais, cavalos, auroques (bois selvagens), cabra montês, a representação de movimento, de homens, cavaleiros e antigos moinhos.

Foto 04

Museu do Côa

Ao visitar o Museu do Côa, apreciará toda a natureza, tendo como horizonte as paisagens sobre o Vale do Côa e ficará a conhecer mais sobre a arte rupestre, arqueologia, história, as memórias dos “homens” do Paleolítico, a representação do seu mundo, deixando um marco histórico que deve ser preservado!

O museu tem assim como objetivo essencial promover as gravuras rupestres.

No museu pode ainda observar diversas exposições, originais de arte móvel, participar em eventos, visitas organizadas aos sítios de arte rupestre do Parque Arqueológico do Vale do Côa com guias especializados e utilizar as novas tecnologias digitais.

Pretende assim constituir-se enquanto plataforma cultural, de dinamização e do conhecimento.

" É um projeto promovido pela Associação de Desenvolvimento Territórios do Côa, que pretende dinamizar a região do Vale do Côa, promovendo o património natural, arquitetónico, cultural, arqueológico e histórico da região do Côa. A Grande Rota do Vale do Côa constitui um percurso de 220 Km, que atravessa alguns dos concelhos da região do Vale do Côa (Sabugal, Almeida, Pinhel, Figueira, Castelo Rodrigo e Vila Nova de Foz Côa), através de três valências: Pedestre, Equestre e BTT. Visite a Grande Rota do vale do Vale do Côa, desfrute das paisagens, descubra as histórias, as memórias, conheça as aldeias, as suas gentes, aproveite e venha até Cidadelhe! "

 Sabugal

 Almeida

 Pinhel

 Figueira de Castelo Rodrigo

 Vila Nova de Foz Côa

Foto 01

A Arte

História
Foto 02

Parque Arqueológico Douro Internacional

Áreas protegidas
Foto 03

Faia Brava

Áreas protegidas
Foto 04

A Comunidade

Nós somos hospitaleiros por natureza

Venha visitar-nos. Esperamos por si!

Morada
Cidadelhe Rupestre Turismo Rural - Lda
Cidadelhe, Pinhel - Portugal

  40°55'04.7"N 7°06'46.3"W
Telefone: +351 271 027 378
Telemóvel: +351 961 083 914

info@cidadelherupestre.com